Diário de bordo 5° dia Expedição Zigurats Dakila Pesquisas – Egito 2015

criança núbia canta para o grupo durante viagem de lancha - urandir Dakila Pesquisas 2015No  5° dia da Expedição Zigurats Dakila Pesquisas – Egito Urandir pesquisa costumes e hábitos em aldeia núbia ao sul do Egito2015 a equipe de pesquisa liderada por Urandir Oliveira partiu pela manhã em várias lanchas em direção a uma aldeia Núbia em uma ilha no Nilo.

No percurso até a aldeia núbia os barcos da equipe foram visitados diversas vezes por crianças navegando em pranchas de surf que se aproximavam do barco e cantavam músicas típicas em troca de algumas moedas. As crianças emocionaram a todos, pela simplicidade, cordialidade e alegria que passaram ao grupo

Ao chegar na ilha, alguns integrantes seguiram de camelo até o povoado, formando uma verdadeira caravana de camelos pelas areias do deserto.

Urandir participa de uma caravana de camelos pelo deserto do EgitoOs Nubios são antigas tribos que habitavam a parte sul do Egito, muito perto de Aswan. na parte inferior da ilha Elefantina em Aswan lá estão localizadas três aldeias Nubias que são definidas em uma bela paisagem de palmeiras.  Nessas aldeias ainda sao preservadas suas primitivas ruas, mercados e casas. A principal atividade de trabalho no local é a fabricação e venda de artesanatos e artefatos típicos para os milhares de visitantes que por ali circulam diariamente, principalmente as mulheres das aldeias Núbias se dedicam a essa atividade.
Durante a visita, os integrantes da expedição puderam provar as comidas típicas e visitar a casa de uma família tipica da região, que ainda mantém as mesmas tradições de seus antepassados, criando crocodilos do Nilo em cativeiro. Além disso foram districrocodilo do nilo criado em cativeiro em uma aldeia núbia do sul do egito - urandir pesquisa 2015buídos vários presentes trazidos do Brazil especialmente para essas pessoas.

Pela tarde a equipe rumou nos barcos de cruzeiro pelo Rio Nilo em direção a Kom Ombo. Lá chegando, Urandir e a equipe de pesquisa da expedição Egito puderam conferir a grandiosidade da construção. Palavra de origem grega Kom Ombo é derivado do termo egípcio Nubt que significa “cidade do ouro”. Bem ao lado do Nilo, uma cidade localizada na província de Assuã.

O Templo de Kom Ombo, ou as ruínas do templo ali erguido por Tutmes III, o mais importante dos quatro faraós de mesmo nome, que compuseram a 18ª Dinastia, documentam a devoção dos antigos egípcios por Hórus.

No tempo de Tutmes (ou Tutmóses) III, entre 1504-1450 antes de Cristo, o Egito estende seus domínios até a Palestina, a Fenícia e a Síria. O templo de Kom Ombo, encontra-se no lado leste do Nilo, próximo as vilas da nova Núbia, onde os núbios, após a construção da usina de Assuã, tiveram que ir morar. A região é tipicamente núbia, com suas casas coloridas, com os campos de plantação de cana-de-açúcar e de pés de laranja.

Urandir e Dakila Pesquisas pesquisa em kom ombo Egito 2015O templo de Kom Ombo pode ser visto à distância, pois foi construído em uma colina. Sua posição elevada oferece uma esplêndida visão da moderna vila de Kom Ombo que fica em oposição à ilha de Mansuria.

O grande templo tem ruínas impressionantes foi destruído pelas águas do Nilo,houve erosão em parte do terraço e na parte da frente. Alguma parte das ruínas foram soterradas pela areia do deserto.

Os coptas que o habitaram, destruíram parte das relíquias ali existentes, antes do edifício ser usado também como quartel. Apesar da destruição pelo tempo, é difícil ficar indiferente à beleza do lugar.

A construção bem peculiar, apresenta dois vãos de entrada e um duplo santuário, e entre eles uma parede separando as duas seções. Este templo é dedicado a dois deuses, a seção norte é dedicada ao deus falcão Hórus e a seção sul ao deus crocodilo Sobek ou Sobeque.

Os dois deuses estão acompanhados por suas famílias: a esposa de Hórus, Tesentnefert (a deusa irmã) e seu filho Panebtawy (senhor das duas terras); Háthor companheira de Sobek e o filho Khonsu. As duas tríades combinam-se entre si numa complexa teologia.detalhe de pilar em tempo de Kom Ombo mostrando os artefatos usados pelos antigos egípcios - urandir pesquisa 2015

O resto do templo é relacionado a divindades do período ptolomaico. Na seção sul existem inscrições e desenhos com o tema do pai entrando no templo, seguido de espíritos trazendo os produtos da terra do Egito e a tríade de Sobek.

Próximo existem escadas que levam ao terraço e ao santuário. No santuário existem inscrições mostrando a purificação do faraó, o rei. Também existem três colunas onde mostram figuras e lotus (representando o sul) e de papyrus (representando o norte), símbolos das duas terras, e o coração do faraó.

O teto é decorado com imagens astronômicas e em algumas partes, mesmo com o desgaste do tempo, ainda pode-se ver a cor original da pintura. As paredes são decoradas com os lugares sagrados do Egito, os deuses das principais cidades e locais de festividades nacionais.

Existe também a sala de oferendas, onde está o deus leão e as oferendas eram colocadas uma vez ao amúmia de crocodilo do nilo em exposição no museu do crocodilo em Kom Ombo - urandir pesquisa 2015no. Na sala depois do santuário, existem estátuas de deuses e dos faraós construtores do templo.

Assim como duas imagens da deusa da noite, Nut. No corpo da primeira imagem existem círculos solares e do segundo as diferentes fases da lua, enquanto a barca da noite estende-se entre elas.

Ao sul do templo foram encontrados remanescentes de uma capela dedicada a deusa, Háthor e múmias de crocodilos (necrópoles). Desenhado em hieróglifos em uma das paredes do templo existem ilustrações de aparelhos cirúrgicos. Estes aparelhos cirúrgicos estão relacionados ao poder de cura do deus falcão.

Kom Ombo é impressionante porque homenageia dois deuses ao mesmo tempo, e isto resultou em duas portas de entrada.

Os egípcios mantinham os crocodilos como bichos de estimação. Quando morriam, esses animais eram mumificados e guardados como sagrados. Os egípcios criaram símbolos artificiais do deus, por exemplo: braceletes, broches, estátuas de pedra…

Artigo criado e publicado em 2015-05-23 17:20:58.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>